quinta-feira, 5 de junho de 2008

E.T. - O Extraterrestre

“Como você explica o que é escola para uma inteligência superior?.”


A trama pode ser resumida em poucas palavras: um O.V.N.I. e sua tripulação aterrisam por engano na Terra. Quando os alienígenas são descobertos por uma patrulha de reconhecimento de cientistas, colocam-se em marcha para ficarem a salvo. Um dos passageiros não chega a tempo à nave e permanece no planeta azul. O extraterrestre esconde-se no jardim de uma casa, até que, numa noite, o pequeno Elliot (Henry Thomas) o descobre. Uma vez que Elliott supera o medo inicial diante da estranha forma de vida, consegue que o E.T. o siga para dentro da casa, com a ajuda de um punhado de guloseimas. Assim, pouco a pouco, desenvolve-se entre os dois uma bela amizade que, com o passar do tempo, estende-se aos irmãos de Elliott – Michael (Robert MacNaughton) e Gertie (Drew Barrymore). O recém-chegado torna-se um companheiro da garotada que o esconde dos adultos. Dentro de um armário, o E.T. passa desapercebido aos olhos da mãe de Elliott (Dee Wallace).

A mensagem central do filme é o eterno conflito entre a razão e o coração. Sob a ótica de Spielberg, sempre quando os adultos têm que escolher entre esses dois conceitos diametralmente opostos, a decisão recai sobre o intelecto. É exatamente assim como Spielberg enxerga o inicio da destruição do poder da imaginação que existe na infância. Portanto, com esse filme, ele tenta um ato de expiação.

Desde o inicio do filme, os adultos são retratados como uma séria ameaça ao mundo infantil - com vozes estridentes, assustam os extraterrestres que vieram à Terra com a pacifica missão de colher flores. Além disso, Spielberg faz as tomadas dos adultos sempre sob a ótica das crianças – nunca de corpo inteiro. Até o final do filme, não são mostrados seus rostos. A câmera trabalha sempre à altura dos olhos das crianças, mostrando os acontecimentos sob suas perspectivas.

Spielberg sempre foi muito criticado por seu estilo cinematográfico. Alguns o acusam de ter uma forma regressiva de fazer cinema e de exagerar nas incursões ao mundo infantil. Mesmo assim, tem sido rotulado como um artesão espiritual, por sua grande capacidade em tocar as teclas dos sentimentos e saber exatamente como agir em cada momento para atingir emocionalmente o público.

Neste filme, Spielberg mostra seu inegável talento, seu divertido senso de comédia, seu lírico estilo narrativo, os elementos de suspense e de melodrama e sua apaixonada defesa da infância. Isso explica o êxito deste filme até hoje.

Para o diretor, esse filme significou um velho sonho. Nele, Spielberg pode refletir sobre sua própria infância e suas origens. Assim, a relação com seus pais (sua mãe foi pianista e, ao que parece, muito sofrida; seu pai, um engenheiro ausente na maior parte do tempo) está retratata em "E.T.", da mesma forma que os medos e esperanças de um menino de dez anos que sonha com a harmonia universal e que, em vista da impossibilidade de consegui-la na vida real, deve esperar criá-la nos seus filmes.

Fica sempre a pergunta: "E.T." é um filme infantil ou um conto de fadas para adultos? Acho que pode ser tanto uma coisa como outra. O alienígena simpático que estende o dedo indicador e cuja expressão “Phone... home...” popularizou-se no mundo todo, tornou esse filme inesquecível. Ingênuo, porém, belo e único.




"E.T. - O Extraterrestre" (E.T. – The Extra-Terrestrial)
1982 – EUA - 114 min. – Colorido – FICÇÃO CIENTÍFICA
Direção: STEVEN SPIELBERG. Roteiro: MELISSA MATHISON. Fotografia: ALLEN DAVIAU. Montagem: CAROL LITTLETON. Música: JOHN WILLIAMS. Produção: KATHLEEN KENNEDY e STEVEN SPIELBERG, para UNIVERSAL PICTURES.

Elenco: DEE WALLACE (Mary) HENRY THOMAS (Elliott), PETER COYOTE (Keys), ROBET MACNAUGHTON (Michael), DREW BARRYMORE (Gertie), K.C. MARTEL (Greg), SEAN FRYE (Steve), TOM HOWELL (Tyler), ERIKA ELENIAK (criança) e DAVID O´DELL (estudante).

Prêmios:
Oscar de Melhor Trilha Sonora (John Williams), Melhores Efeitos Visuais (Carlo Rambaldi, Dennis Muren e Kenneth F. Smith), Melhor Som (Robert Knudson, Robert J. Glass, Don Digirolamo e Gene S. Cantamessa) e Melhores Efeitos Sonoros (Charles L. Campbell e Ben Burtt)/1982.

Trailer Original:


Do mesmo diretor:



Contatos Imediatos do Terceiro Grau

15 comentários:

Robson Saldanha disse...

Eu acho filme tão fantástico. Me remte a uma época em que eu ficava deslumbrado com a idéia de ter um alienígena ou um ser mágio como meu amigo. Ficava doido pra aparecer um na minha vida!! hehehe

o cara da locadora disse...

Excelente resenha sobre o filme, falou de tudo que eu sempre pensei. Concordo com tudo e assino em baixo, rs...

Tito disse...

Ótimo! Clássico!

Red Dust disse...

Um imenso filme de talento. Só pode ser 10 em 10. :)

Abraço.

Pedro Henrique disse...

George Lucas revolucionou os efeitos especiais com Star Wars e Spielberg revolucionou as criaturas extraterrestres no cinema com esse filme. E.T é um marco não só na carreira do cineasta como, também, na história do cinema.

Abraço!

Miriam disse...

Excelente filme, acho que foi um marco no cinema. Este tema sempre encantor Spilberg.
Beijos.

Cecilia Barroso disse...

Assisti a E.T. criança, no cinema, quando estreou pela primeira vez e fiquei completamente maravilhada. Depois levei minha filha para ver o relançamento nas telonas e foi a vez dela. Há pouco tempo peguei na locadora para o meu pequeno e ele diz que é um dos melhores filmes que ele viu na vida.
Acho que isso já diz muita coisa, né?
Beijocas

Marcel Gois disse...

q vergonha, acho q sou o unico ser humano vivo que nao assistiu E.T. inteiro, soh vi partes na tv ;D
mas um dia eu assisto..

Isabela disse...

Um dos melhores personagens da historia do cinema, e acredite é um ET. Irretocavel, fofo, simpatico e cheio de lições. Um filme maravilhoso, possivelmente o melhor do Spielberg.

Jacques disse...

Robson, de fato o E.T. marcou muita gente.

Cara da Locadora, valeu e obrigado.

Tito e Red, tbm acho o fime um clássico.

Pedro, não acho revolucionário, mas é um grande filme como falei.

Miriam, concordo. Abcs.

Isabela. Um dos melhores, com certeza. Abcs

Miriam, é verdade. Concordo em número, gênero e grau.

Marcel, corra e alugue logo o filme rs.

Anônimo disse...

Nos devemos ter cuidados e dizer que não ,acreditamos mais tem ovines e eu já vi muitas historias de ovines como a que apareceu no programa do gugu a menina que foi abduzida e apareceu em outro canto.

Anônimo disse...

na minha opinião não existe extraterrestre e muito menos uma pessoa acolher um et dentro da sua própria casa...

Anônimo disse...

a minha opinião é que não existe extraterrestre por que ninguem conseguiu ver um de verdade por isso eu não acredito vida em outro planeta...

Anônimo disse...

Eu achei legal o texto porque ele fala de E.T e de amigos porque o pequeno Elliot via amigo do E.T. Eu não acredito em E.T porque eu não acho que tenha vida em outro planeta. Muitas pessoas gravam vídeos de luzes no céu e de naves espaciais. Mas eu não acredito.Porque eu acho que deve ser só ilusão desas pessoas.ASS:Jaciara.

Anônimo disse...

eu nunca vi um aliem,mas há relatos de pessoas que já viram naves para você se prevenir contra eles você pode dormir com sempre com uma lanterna sempre a mão também com o ventilador sempre ligado e uma sequência de coisas para sé prevenir.thales