domingo, 21 de dezembro de 2008

CREPÚSCULO

“Há quanto tempo você tem dezessete anos?.”


Amor à primeira vista e não à primeira mordida, "Crepúsculo" - baseado numa série de livros, “The Twilight Saga”, da autora Stephenie Meyer – é um romance juvenil, cheio de sinais, sussurros, instintos incontroláveis e olhares tímidos (e furiosos) entre dois adolescentes que dificilmente deveriam apaixonar-se um pelo outro. O par central é formado por Bella (de Isabella) Swan, interpretada com intensidade hesitante por Kristen Stewart, uma bonita e tímida adolescente do Arizona, filha de pais separados, que se muda para viver com o pai no estado de Washington. Essa mudança traz todas as dificuldades comumente já vistas em dramas juvenis do cinema e da TV norte-americana – relacionamento, conflito cultural, etc. Além disso, surge outra complicação, desta vez incomum: Bella apaixona-se por Edward Cullen (Robert Pattinson), um rapaz solitário, de humor e tez alterada, filho adotivo de vampiros.

Como nas histórias do gênero, “Crepúsculo” trata do desejo reprimido e da fome incontrolável por sangue – principalmente aquela que provém das mordidas na jugular. Entretanto, aquela sedução inicial que transforma inocência – como no caso da personagem virginal Lucy, de “Drácula” – em volúpia e luxúria, não é reproduzida no filme. Ao contrário, a contribuição da escritora – e talvez isso seja um dos pontos que possa agradar a maioria do público - é transformar o aspecto sanguinolento em algo menos ameaçador e mais moralista.

Aqui os vampiros não são monstros sedutores e perigosos, mas seres que para sobreviverem numa sociedade moderna têm que controlar seus instintos e, como parte dessa evolução, aprender a serem vegetarianos. Edward sempre cai em tentação, mas não morde. Leva uma vida monótona e quieta entre os seus (prefere o convívio em família para não se expor), na cidade nublada e chuvosa de Forks. Seu pai adotivo, Carlisle (Peter Facinelli), é um médico que, apesar do visual fantasmagórico, convive mais com os humanos. O resto da família, entretanto, incluindo sua mãe monocromática, irmãos e irmãs, joga baseball sob chuvas e trovões e ocasionalmente caçam animais.

Quando Edward encontra Bella pela primeira vez, olha-a de forma ameaçadora, com punhos cerrados. Ela, iludida, vai descobrindo a real natureza de Edward, que acaba se descrevendo como um monstro, com todos os poderes de um super-herói – corre em alta-velocidade, pula, lê pensamentos... Apesar disso tudo, nada se compara a seu maior dom: consegue manter os caninos sob controle.

Pattinson não compromete, mas poderia estar melhor. Ele é uma versão vampiresca de Brandon Walsh (bom moço) e Dylan (mau moço) de "Barrados no Baile". A diretora, talvez embalada por uma continuação da saga, naõ teve o pulso tão firme, talvez prejudicada por ter que evidenciar outras tramas paralelas ainda a serem desenvolvidas – é o caso de um clã de vampiros sanguinários que ameaçam a família e que aparecem brevemente no filme. De qualquer forma, Catherine Hardwicke mostra sensibilidade para retratar o universo adolescente e sua intimidade.

Embora Edward e Bella alcancem altos vôos em “Crepúsculo”, principalmente nas belas passagens visuais quando escalam e pulam de árvore em árvore, o aspecto moralista os trazem para uma menor altitude. Se a autora realizou uma história de vampiros “segura” para adolescentes e seus pais – a única ameaça real surge do clã de vampiros inimigos – é somente porque na verdade há uma coisa pior do que a morte, especialmente para os adolescentes: o sexo. Ao deparar-se com Bella deitada na cama (louca para ser mordida), Edward recua com um puritanismo vitoriano. Assim como a diretora, o pobre garoto perdeu os caninos e quase que inteiramente o "sangue". Ele perdeu tanto sua vitalidade, que poderia até estar morto. Eita, e ele não está?



Crepúsculo (Twilight)
2008 – EUA - 122 min. – Colorido – DRAMA
Direção: CATHERINE HARDWICKE. Roteiro: MELISSA ROSENBERG, baseado em romance de STEPHEINE MEYER. Fotografia: ELLIOT DAVIS. Montagem: NANCY RICHARDSON. Música: CARTER BURWELL. Produção: GREG MOORADIAN, MARK MORGAN E WYCK GODFREY, distribuído pela SUMMIT ENTERTAINMENT.

Elenco: KRISTEN STEWART( Bella Swan), ROBERT PATTINSON (Edward Cullen), BILLY BURKE (Charlie Swan), ASHLEY GREENE (Alice Cullen), NIKKI REED (Rosalie Cullen), JACKSON RATHBONE (Jasper Cullen), KELLAN LUTZ (Emmett Cullen), PETER FACINELLI (Dr. Carlisle Cullen), CAM GIGANGET (James/Nomad Vampire), TAYLOR LAUTNER (Jacob) , ANNA KENDRICK (Jessica) , MICHAEL WELCH (Mike Newton) e JUSTIN CHON (Eric).



Cenas do filme:


Assista também:




Os Reis de Dogtown

6 comentários:

Kau disse...

Jacques, alguns amigos meus já viram e o mínimo de nota que vi até agora foi a sua. Mesmo sendo uma boa cotação...

Abraços!

Taty Macoli disse...

essas coisas de vampiro são sempre tão batidinhas...
num tenho vontade de ver esse não, mas até que tenho me divertido assistindo "True Blood".
abçs
Taty

Sérgio Déda disse...

Sinceramente não tenho muito interesse neste filme, acho que vai passar batido por mim...

vlws

Robson Saldanha disse...

Quero muuuuuito ver!

Wally disse...

Com todo o hype, to muito curioso para assistir, ainda que duvidoso sobre a qualidade em si.

Ciao!

Cecilia Barroso disse...

Ainda não vi o filme. Quero ler o livro antes...

Um feliz ano novo para você, Jacques!

Beijocas