segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

CONFISSÕES À MEIA-NOITE

“Já tive ressacas antes. Mas, desta vez, até meus cabelos doem.”


Nada como uma linha telefônica dividida para unir Rock Hudson e Doris Day nesta comédia romântica bastante divertida. “Confissões à Meia-Noite” usa este artifício para mostrar a relação entre dois vizinhos. Essa união é um pouco ambígua e atrapalhada, pois a ligação que a linha telefônica faz aqui é de trazer muita dor de cabeça e antipatia entre o casal. Doris Day, que interpreta Jan Morrow, uma decoradora de interiores e Rock Hudson, Brad Allen, um bem-sucedido compositor de Nova York, inicialmente insultam-se pelo telefone, sem se conhecerem. Jan fica indignada a cada vez que necessita usar o fone para algum compromisso e depara-se com a linha cruzada de Brad com alguma de suas namoradas. Em contrapartida, ele odeia quando ela o interrompe, parecendo estar invejosa, como se fosse uma velha ranzinza.São essas cenas as mais divertidas do filme, nas quais Brad canta uma mesma música em diversos idiomas – cada namorada dele tem uma nacionalidade.
No momento em que o compositor tem um contato de verdade com Jan e percebe o quanto fazia uma idéia errada de como ela era, o elo amoroso então começa e o telefone e a abordagem de Brad, que então se apresenta para Jan como Rex - um texano - ajudam a desenvolver o romance entre os dois.

É de fato o roteiro ágil e esperto que Robert Shapiro e Maurice Richlin prepararam com base na história de Russell Rouse e Clarence Greene que colabora muito para o enredo e leveza do filme. Os diálogos são inteligentes e engraçados e o elenco de coadjuvantes bem afinado. O uso freqüente das telas bipartidas tornam essa aventura romântica, leve e apropriada - não é a toa que fez e ainda faz bastante sucesso nas sessões de cinema à tarde. Filmado em CinemaScope, o diretor Michael Gordon e todo o elenco devem ter se deliciado bastante.

Toda essa diversão é transmitida ao público de forma fluida e fácil, através de situações e cenas divertidas. Rock Hudson, na pele do compositor cortejando uma garota, enganando-a, fingindo ser um texano da mais alta índole e comportamento está impagável. “Você me dá um sentimento caloroso e verdadeiro, como uma lareira numa fria manhã”, diz ele a Doris Day.

Qual garota não resistiria a essa investida? Bem, talvez não a espevitada e ferina Jan, bem interpretada por Doris, que possui uma maneira bacana de revidar uma investida masculina. Sua raiva são bem “classudas” e suas decepções com Brad são graciosas, mas também assemelham-se em certos momentos a um passeio de montanha russa. Como de costume, Doris Day também canta, porém, bem menos do que em outros filmes. E, quando acontece, o faz de forma sempre agradável. Perry Blackwell também canta duas canções.

Como coadjuvantes estão a formidável Thelma Ritter, como a empregada alcoólatra de Jan Morrow, e Tony Randall, como um milionário aspirante ao amor de Doris Day e também amigo de Rock Hudson. Você já imagina o que pode dar esse triângulo amoroso? Nick Adams como Tony está muito bem e quase rouba uma seqüência de Doris Day. Marcel Dallio, Allen Jenkins e Lee Patrick estão engraçados em diversas outras cenas. O colorido do CinemaScope e as músicas completam esse filme divertido e bacana, que situa-se numa bela e bem fotografada Nova Iorque. Ponto para a Universal.



Confidências à Meia-Noite (Pillow Talk)
1959 – EUA - 101 min. – Colorido – COMÉDIA
Direção: MICHAEL GORDON. Roteiro: STANLEY SHAPIRO E MAURICE RICHLIN, baseado na história de RUSSEL ROUSE E CLARENCE GREENE. Fotografia: ARTHUR E. ARLING. Montagem: MILTON CARRUTH. Música: FRANK DE VOL. Produção: ROSS HUNTER E MARTIN MELCHER, distribuído pela UNIVERSAL-INTERNATIONAL.

Elenco: ROCK HUDSON( Brad Allen/Rex Stetson), DORIS DAY (Jan Morrow), TONY RANDALL (Jonathan Forbes), THELMA RITTER (Alma), NICK ADAMS (Tony), JULIA MEADE (Marie), ALLEN JENKINS (Harry), MARCEL DALIO (Pierot), LEE PATRICK (Sra. Walters), MARY McCARTY (Enfermeira Resnick) , ALEX GERRY (Dr. Maxwell) , HAYDEN RORKE (Sr. Conrad) e VALERIE ALLEN (Eileen).



Cenas do filme:


Assista também:





Ardida Como Pimenta

4 comentários:

Sérgio Déda disse...

Mais um filme daqui que deve entrar na minha lista, quando tiver a oportunidade assistirei.

Marcel Gois disse...

Opa, estou passando só para lembrar que o prazo de envio das apostas para o 1º Bolão do Talking About Movies está chegando ao fim. As apostas para a 1ª fase serão fechadas as 24h do dia 21 (proxima quarta-feira).
Não deixe de participar.
Contamos com suas apostas!
Abraço.

Jacques disse...

Sérgio, esta comédia é típica dos anos 50 e a dupla está muito afinada. Diversão garantida. Bem roteirizado e dirigido.

Marcel,valeu pelo convite.

Wally disse...

Tem cara de ser do típo de filme que gosto. Vou à procura dele. A frase é ótima!

Ciao!