quinta-feira, 26 de março de 2009

UM DIA DE CÃO

“Sal, Wyoming não é um país.”



“Um Dia de Cão” é um melodrama (embora cheio de cenas divertidas), baseado em um assalto a banco desastrosamente mal planejado, que acontece no Brooklyn. O filme somente mostra o acontecimento, sem entrar nas razões que originaram o fato. Isso faz com que o impacto emocional do filme fique reduzido – não que isso comprometa o filme, pelo contrário – mas o torna mais sério e fascinante. O incidente no qual o filme é inspirado ocorreu numa agência do Chase Manhattan Bank, em 22 de agosto de 1972. Dois assaltantes – um dos quais buscava dinheiro para uma operação de mudança de sexo de um amigo – falham miseravelmente, após manterem os empregados do banco como reféns por 14 horas. O evento vira um acontecimento ridículo – os assaltantes aparecerem ao vivo na televisão e negociam um avião para fugirem dos pais.

O filme de Sidney Lumet preocupa-se exclusivamente com a tentativa de roubo e o tempo de duração do incidente. Ocasionalmente, presenciamos algumas tomadas da vizinhança do bairro; contudo, a maior parte de projeção tem como cenário o banco. Esse confinamento no espaço e no tempo é respoonsável por muito da intensidade dramática do filme.

Contribui para isso as praticamente perfeitas caracterizações do elenco, incluindo Al Pacino, como o mais mentalmente limitado da gangue - um homem corajoso, quando em contato com a multidão do lado externo do banco, porém perturbado em suas relações pessoais.

Ao mesmo tempo em que ele jura amor a sua esposa e filhos, o faz também a seu companheiro – com quem “casou” numa cerimomia alguns meses antes, tendo sua mãe como testemunha. Por outro lado, o companheiro, interpretado num misto de medo, dignidade e de forma doentia por Chris Sarandon, atesta que seu quase protetor tentou matá-lo em diversas ocasiões.

As outras caracterizações que valem ser mencionadas são as de Penny Allen, como uma eficiente caixa que se arrisca, mesmo sob tensão (“Meus ouvidos não são latas de lixo”, ela diz a certa altura), John Cazale como parceiro de crime de Al Pacino – um homem que não fuma porque “o corpo é um templo do Senhor” -, James Broderick e Charles Durning, como representantes da lei. Também estão bem Susan Peretz, como a mulher de Al Pacino, em quem se pode perceber a aflição, raiva, doçura e violência, que é uma das principais questões tratadas em “Um Dia de Cão”. Um Lumet que vale ser sempre revisitado.



Um Dia de Cão (Dog Day Afternoon)
1975 – EUA - 125 min. – Colorido – DRAMA
Direção: SIDNY LUMET. Roteiro: FRANK PIERSON, baseado no artigo de revista de P.F. KLUGE e THOMAS MOORE. Fotografia: VICTOR J. KEMPLER. Montagem: DEDE ALLEN. Música: JOE HISAISHI. Produção: MARTIN BREGMAN e MARTIN ELFLAND, para a ARTISTS ENTERTAINMENT COMPLEX, INC , distribuído pela WARNER BROS.

Elenco: AL PACINO (Sonny), JOHN CAZALE (Sal), JAMES BRODERICK (Sheldon), CHARLES DURNING (Moretti), PENNY ALLEN (Sylvia), SULLY BOYAR (Mulvaney), BEULAH GARRICK (Margaret), CAROL KANE (Jenny), SANDRA KAZAN (Deborah), MARCIA JEAN KAZAN (Miriam) , AMY LEVITT (Maria) , JOHN MARRIOTT (Howard) e ESTELLE OMENS (Edna)


Prêmios:
Oscar de Melhor Roteiro Original (Frank Pierson)/1976.
BAFTA de Melhor Ator (Al Pacino) e Melhor Montagem (Dede Allen)/1976





Cenas do filme:



Assista também:




O Veredito

6 comentários:

O Cara da Locadora disse...

Vira e mexe algum blog fala sobre esse filme, deve ser por que se trata de um clássico. É uma pena a morte prematura do Cazale, não? Abraços...

Hugo disse...

Filmaço, suspense e drama na medida certa e com uma incrível força na direção de Lumet e nas interpretações de Pacino e Cazale.
Um dos grandes clássicos do cinema.

Abraço

Miriam disse...

Adoro este filme, inclusive tenho-o em minha coleção. Gostei da sua crítica, mas o ponto alto do filme, para mim é quando Sonny, grita "Attica! Attica!" para a multidão de curiosos que se reuniu em frente ao banco, em referência à rebelião de 1971. A multidão o aplaude pelo ato. A frase foi eleita a 86a. posição da lista "100 Years...100 Movie Quotes" - 100 anos... 100 citações de filmes.Bem lembrado!!
Beijos.

Ygor Moretti Fiorante disse...

è o mais anti heroi que se tem noticia rss ou melhor anti-vilão ou qualquer coisa do tipo que represente um loser americano, brilhantemente representado pelo Pacino.

Sérgio Déda disse...

Um Dia de Cão é clássico, Lumet é fantástico e Pacino é sem comentários.

Tow tentando voltar à ativa depois de um tempo parado heheheh

Wally disse...

"Attaca! Attaca!" Ta aí um filmão. Um Dia de Cão é excelente cinema.

4 também.

Ciao!