terça-feira, 23 de setembro de 2008

OS AMORES DE CARMEN

“Senhorita? Eu?.”


Estrelado por uma das divas do cinema dos anos 40, Rita Hayworth, sempre linda e charmosa, essa versão de "Carmen", entretanto, não agrada demais. Afetada, fica nítido que Rita não passa na tela o que deveria no papel da clássica cigana vamp de Mérimée. Excesso de postura, poses e pitadas desnecessárias de paixão é o que mais pode ser visto no personagem interpretado pela atriz. Infelizmente, a música da ópera de Bizet não faz parte do filme. Apesar disso, Rita tenta dar vida à cigana, utilizando-se de trajes típicos, cabelos revoltos e dançando - como poucas atrizes de sua época no cinema souberam fazer -, chamando atenção aos seus gestos, rosto, olhos e lábios, que foram extremamente explorados pelos fotógrafos de Charles Vidor (produtor e diretor do filme), em Technicolor. Provavelmente, a maneira explosiva e vibrante de Rita, assim como seu humor tempestuoso no filme, sugere a pesada orientação dramática do diretor.

Mas, as faíscas eletrizantes de personalidade que podiam dar brilho ao papel faltam a seu desempenho, de modo que a lasciva cigana concebida por Mérimée é substituída aqui por uma personagem muito produzida e às vezes não convincente – talvez teatral.

Alguns números musicais são interessantes, embora a melodia interpretada pelos cancioneiros em uma serenata possa parecer um pouco infantil para um casal de amantes ardentes. O Don José da obra, que é um sujeito arrogante, no filme parece derrotado e inseguro na interpretação de Glenn Ford.

Victor Jory está bem como o delinqüente cigano marido de Carmen, Garcia, e nos dá os melhores momentos do filme, lutando com Don José, em duelo com facas. Entretanto, o resto do elenco parece superficial, assim como os cenários (bem cuidados), mas exageradamente artificiais.

Parece-me que esta versão foi inspirada por “Carmen”, versão franco italiana dirigida por Christian-Jaque em 1945, estrelada por Viviane Romance e que, segundo dizem, apesar de muito mais barata que o produto hollywoodiano, é superior. Ver para crer.



"Os Amores de Carmen" (The Loves of Carmen)
1948 – EUA - 99 min. – Colorido – DRAMA
Direção: CHARLES VIDOR. Roteiro: HELEN DEUTSCH, baseado no romance homônimo CARMEN de PROSPER MÉRIMÉE. Fotografia: WILLIAM SNYDER. Montagem: CHARLES NELSON. Música: MARIO CASTELNUOVO-TEDESCO. Produção: CHARLES VIDOR, para a COLUMBIA PICTURES.

Elenco: RITA HAYWORTH (Carmen) GLENN FORD (Don José), RON TANDELL (Andrés), VICTOR JORY (Garcia), LUTHER ADLER (Dancaire), ARNOLD MOSS (Coronel), JOSEPH BULOFF (Remendado), MARGARET WYCHERLY (Anciã), BERNARD NEDELL (Pablo) e JOHN BARAGREY (Lucas).

Trailer Original:



Do mesmo diretor:



Gilda

3 comentários:

Sérgio Déda disse...

Valeu Jacques... respondi o Meme lah...

abraço

Kau Oliveira disse...

Jacques, eu sou fascinado por Gilda, mas nunca vi Os Amores de Carmen. Vou procurar, pois gostei do que li em seu texto.

Abraços!

Jacques disse...

sergio, valeu.

Kau, é um filme bem Technicolor. Caso seja do seu estilo, vai gostar. Abcs