quinta-feira, 9 de outubro de 2008

SORTILÉGIO DE AMOR

“Ela usou um gato.”


É comum vermos em filmes lindas garotas enfeitiçando rapazes, seja através de olhares, jeito de falar, de andar, etc. Em “Sortilégio de Amor”, esse feitiço ocorre literalmente, quando Gillian “Gil” Holroyd (Kim Novak), linda como sempre, encanta um homem, Shepherd “Shep” Henderson (James Stewart), fazendo com que ele se apaixone por ela. O tema pode parecer tolo e banal. Porém, o roteirista Daniel Taradash transformou a peça de John van Druten em um conto de fadas urbano. Desde o atelier da heroína, uma espécie de marchand de arte primitiva, até o esfumaçante bar noturno em Greenwich Village, onde os feiticeiros locais e seus aprendizes tocam, tudo é divertido, com visual vÍvido e sugestivo.

Mérito deve ser dado ao diretor de arte Cary Odell, que dá cores especiais devido à própria necessidade imposta pelos próprios cenários do filme; o consultor especial de matizes, Eliot Elisoforn, e o diretor de fotografia, James Wong Howe, juntos, conseguem fazer com que fiquemos hipnotizados.

Para se ter uma idéia, eles sugerem como as coisas acontecem sob a ótica dos olhos do gato de estimação da feiticeira, saturando as imagens na câmera em um tom azul escuro melancólico. E o que conseguem fazer com as tomadas nas ruas de Nova Iorque é mágico. Graças a eles, Kim Novak, como a provocante e sedutora jovem que possui poderes de feiticeira, parece bem mais convincente em sua atuação. James Stewart é o ator de sempre e, envelhecido como par da estonteante Kim, faz o papel do editor que ela fisga.

Jack Lemmon, como um bruxo ou irmão de Gillian, Nick Holroyd, está um pouco afetado. Elsa Lanchester (Queenie Holroyd) e Hermione Gingold (Bianca de Passe) interpretam de forma muito engraçada uma dupla de velhas inescrupulosas, e Ernie Kovacs (Sidney Redlitch) retrata um escritor com ar desajeitado e maltrapilho como se estivesse tentando invocar Maxim Gorky para o filme.

"Sortilégio de Amor” é um feitiço brando, mas chega perto de parecer magia.



"Sortilégio de Amor" (Bell, BooK and Candle)
1958 – EUA - 106 min. – Colorido – COMÉDIA
Direção: RICHARD QUINE. Roteiro: DANIEL TARADASH, baseado na peça homômina de JOHN VAN DRUTEN. Fotografia: JAMES WONG HOWE. Montagem: CHARLES NELSON. Música: GEORGE DUNING. Produção: JULIAN BLAUSTEIN, para a COLUMBIA PICTURES.


Elenco:
JAMES STEWART (Shepard Henderson), KIM NOVAK ( Gillian Holroyd), JACK LEMMON (Nicky Holroyd), ERNIE KOVACS (Sidney Redlitch), HERMIONE GINGOLD (Bianca de Passe), ELSA LANCHESTER (Queenie Holroyd), JANICE RULE (Merle Kittridge), PHILLIPE CLAY (cantor francês), BEK NELSON (secretária), HOWARD McNEAR (Andy White) e THE BROTHERS CANDOLL (músicos).


Cenas do Filme:



Do mesmo diretor:



O Mundo de Susie Wong

3 comentários:

Miguel Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel Andrade disse...

Jacques, e tem argumento bem similar ao do seriado A Feiticeira... E um final terrivelmente machista, mas é fofo de doer! :)

Kau. disse...

Jacques, eu procuro, procuro, procuro... e não acho esse bendito filme. Sou fã do Jack Lemmon e, como ele está no elenco, quero muito ver.

Abs.